10 de Março de 2014

Estelionatários presos no Centro

Especialidade da dupla era a comercialização de imóveis

Na tarde da última sexta, 7, Fábio Junior Francisco da Silva, de 30 anos, e Everaldo Francisco da Silva de 41, foram presos pelo Grupo Especializado de Repressão a Crimes contra o Patrimônio – G.E.PATRI  dentro de um cartório no centro de Rio Verde. Eles concluíam a venda falsa de um terreno na cidade e receberiam da  vítima, José Antônio Dias Moreira, de 54 anos,  R$ 42.000,00. Ele já havia pago uma Caminhonete S-10 no valor de R$ 38.000,00 e R$ 1.000,00 em espécie.

Uma funcionária do cartório onde acontecia o negócio desconfiou e ligou para a proprietária do terreno para confirmar a venda. Por telefone ela afirmou que não havia oferecido seu imóvel para ninguém e que o terreno não estava à venda. Percebendo que se tratava de um golpe, ela acionou a Polícia.

Para a compra do terreno o homem havia adiantado a caminhonete e o valor em espécie, além de ter pagado o I.P.T.U. do lote, ficando o restante para ser entregue a dupla na assinatura do contrato dias depois. A vítima então foi ao encontro da dupla para o acerto final. A Polícia agiu, prendeu os dois criminosos e os conduziu à Delegacia de Polícia.

Fábio alegava ser corretor e ter  conhecido Everaldo na cidade. Ele afirmou que não tinha nenhuma ligação com ele e achava que estava vendendo o lote com autorização da proprietária. Ele disse ainda que chegou a conversar com ela, porém ali mesmo na Delegacia ela negou ter conhecido ou conversado com ele. Fábio possui passagem por porte ilegal de arma de fogo em Barra do Garças.

Everaldo apresentou um documento de identidade falso em nome de Cristian dos Santos. Ele possui passagens pela Polícia por roubo e estupro e foi condenado a 23 anos de prisão e cumpriu 9 anos e 8 meses em Barra do Garças. Ao serem questionados sobre a caminhonete, eles disseram que estava em Trindade, cidade onde a dupla morava, mais uma contradição de Fábio que dizia não conhecer o parceiro, os dois moravam em Trindade e eram companheiros no crime.
 
O Delegado autuou a dupla por formação de quadrilha, estelionato e uso de documento falso. Em seguida os dois firam encaminhados à Casa de Prisão Provisória, onde devem aguardar julgamento, caso sejam condenados pelos crimes, podem pegar uma pena que varia de quatro a treze anos de reclusão, outras pessoas podem ter sido vitimas da dupla, a caminhonete será entregue ao proprietário.

Patrulha RV

Compartilhe / Comente

Notícias Relacionadas

« Voltar

Copyright © 2018 - Todos os direitos reservados

Rio Verde Agora