28 de Maio de 2018

Hospitais particulares em Goiás também alertam para risco de desabastecimento

21 hospitais e centros comerciais do segmento hospitalar da Ahpaceg já detectam uma queda dos estoques e uma iminente falta de insumos

Depois que o governo e a Secretaria da Saúde do Estado (SES) anunciaram que a greve dos caminhoneiros já tem provocado ausência de insumos hospitalares nas unidades de saúde em todo o Estado e a suspensão de cirurgias eletivas por ausência de material, outro órgão se manifestou.

A Associação dos Hospitais Privados de Alta Complexidade do Estado de Goiás (Ahpaceg) pediu neste sábado (26/5) às lideranças do movimento grevista dos caminheiros do Brasil que cargas de gases medicinais (como oxigênio), medicamentos e outros insumos essenciais sejam liberados do embargo estabelecido.

Apesar de garantir que reconhecem o direito de greve, a associação pediu por atenção ao direito à saúde e à vida dos pacientes.

De acordo com a Ahpaceg faz os 21 hospitais associados em Anápolis, Aparecida de Goiânia, Catalão, Goiânia e Rio Verde e parceiros comerciais no segmento hospitalar, já foram detectada queda dos estoques e uma falta de insumos nas instituições de saúde.

País
Hospitais particulares do restante do país também alertaram para o risco de fechamento, a partir de segunda-feira (28/5), de prontos-socorros que atendem urgências e emergências.

“A partir do início da próxima semana, os hospitais não conseguirão mais garantir o acesso e a continuidade do cuidado dos pacientes que necessitarem de tratamento, se nenhuma medida imediata for adotada. Prontos-socorros correm o risco de fecharem as portas”, diz nota divulgada pela Associação Nacional dos Hospitais Privados (Anahp), que representa 107 unidades hospitalares espalhadas pelo país.

A entidade apela para que o governo e os grevistas “entendam a gravidade do problema” e tomem providências imediatas para “evitar a indisponibilidade de medicamentos, materiais, insumos e serviços necessários para o atendimento aos pacientes”.

Caminhoneiros
Apesar de não terem um representante que responda por toda a categoria, visto que grande parte dos grevistas são autônomos, vídeos que circulam pela internet mostram que os manifestantes estão, sim, deixando cargas que contém insumos hospitalares ultrapassarem os bloqueios.

Jornal Opção

Compartilhe / Comente

Notícias Relacionadas

« Voltar

Copyright © 2018 - Todos os direitos reservados

Rio Verde Agora